POSITIVIDADE

Oi Genteeee!!! Aqui é a Nat!!!

Vim aqui hoje contar um pouco de um lado da vida que eu AMO! Como atrair sempre coisas boas para você.

Sempre fui uma pessoa que acredita muito em energia. Sou dessas que sinto quando o ambiente não está legal ou quando aquele lugar tem um  astral maravilhoso.

Há alguns anos fui apresentada ao Hoponopono, o famoso “eu te amo, sinto muito, me perdoe, sou grato”. De maneira bem resumida o Hoponopono é uma técnica de curo havaiana que te ensina a purificar as coisas ruins e atrair sempre as coisas boas para você.

Mas Nat, como fazemos isso? Dentro dessa técnica é simples. O que ela ensina é que você deve repetir o mantra durante todo o dia. E funciona?! Para mim sempre funcionou. Ainda não sou regrada a ponto de repetir o tempo inteiro a frase “eu te amo, sinto muito, me perdoe, sou grato”, mas todas as vezes que preciso de uma energia extra ou estou com algum pensamento mais para baixo eu repito o mantra e me sinto melhor e mais leve.

Não sou uma estudiosa do tema, apenas uma curiosa. Mas até hoje essa filosofia só me fez bem, me ajudou a energizar e atrair coisas boas.

Na minha vida pensar em coisas boas sempre me fez feliz e me ajudou a trazer coisas boas de volta. Seja positivo, cuida de sua mente e a lei do retorno será implacável! Mil felicidades para vocês.

Beijos da Nat.

O GUARDA ROUPA PÓS PARTO

Oi Gente!!! Aqui é a Nat!!!

Vim contar para vocês hoje um pouco de como ficou a minha relação com a moda no pós parto.

Eu sempre fui uma pessoa muito ligada aos meus looks e a minha aparência. Sei o que cai e o que não cai bem em mim e o que fica legal de ser usado.

Um dos pontos que mais me marcou no pós parto foi quando a minha mãe me proibiu de passar os dias de pijama. Eu acordava (bem) cedo todo dia, me maquiava, me trocava e mandava uma foto para ela. Isso me ajudou a não perder a vaidade.

Eu desde o primeiro mês do Romeo sempre levei ele para passear, então queria sair arrumada e estilosa da mesma maneira que saia antes.

Um dos maiores diferenciais foi descer do salto. Não é pratico andar com bebê, carrinho, bolsa e bolsa do bebê em cima de um salto 8. Achei tênis e mules que combinavam comigo e mandei ver. Outra mudança de estilo foram as saias curtas (que eu amo), e também não eram muito práticas no abaixa levanta de uma mãe recente.

Calças jeans e camisetas foram coringa. Usei muito também blusas ombro a ombro que davam um charme no look e camisas com colares. Aliás acessórios foram meus melhores amigos! Colares, pulseiras e bolsas faziam toda a diferença no meu look.

O começo da maternidade é difícil. Noites mal dormidas, cansaço, um ser humano novo em casa que depende 100% de você. Muitas vezes bate o desespero e zero vontade de se arrumar. Mas acreditem, cuidar de você nessa fase é essencial. Faça uma massagem, cuide da sua pele, use maquiagem (nem que seja o mínimo), volte a usar as roupas que você gosta (e que cabem) sem pressão de fazer aquela calça de couro justérrima entrar quando o seu bebê ainda tem dois meses.

Hoje com o Romeo maior, e eu de volta ao meu corpo, o estilo voltou com naturalidade ao que era antes. Ainda evito roupas muito curtas quando estou com ele, mas já me sinto mais segura com saltos e decotes maiores.

Ser mãe é uma delícia. Ser mãe e manter sua vaidade junto é melhor ainda. E é possível para todas nós! Use o que você curte, cuide de você, da sua mente e do seu corpo e tudo fluirá de maneira natural e sempre com muito estilo!!!

A PRIMEIRA VIAGEM INTERNACIONAL EM FAMÍLIA – COMO VIAJAR (E APROVEITAR) COM UM BEBÊ!

Oi gente!!! Aqui é a Nat!

Hoje vim contar para vocês um pouco de como foi a nossa primeira viagem internacional em família.

Com o passar dos meses o Romeo se mostrou um excelente companheiro meu e do Rogério. Desde pequeno levamos ele em restaurantes, passeios e em algumas viagens menores aqui no Brasil.

Na dúvida do que dar de presente de aniversário para o Rogério escolhi uma viagem curta para Buenos Aires, e claro que o Romeo não poderia ficar de fora dessa aventura.Escolhi um hotel muito bem recomendado porque queria ter certeza que teríamos conforto e opções para curtir com o Romeo sem ter que ficar na rua o dia inteiro.

Nossa primeira experiência foi o voo de ida. Romeo já tinha viajado algumas
vezes de avião mas o voo mais longo tinha sido de 1:30hs. A viagem foi tranquila, o voo foi bem cedo e ele dormiu quase o tempo todo. Ponto para nós! Chegamos em Buenos Aires e fomos direto para o nosso hotel escolhido: o maravilhoso Palácio Duahu- Park Hyatt. Além de lindo o hotel é excepcional. Quartos espaços, duas opções de restaurante e uma opção de bar, staff extremamente atencioso. No quarto já nos esperava um berço com alguns mimos para o Romeo e uma carta de boas vindas a família.

Começamos o dia por Puerto Madero , um dos meus lugares preferidos de Buenos Aires, mas dessa vez a experiência não foi das melhores. Descobri que andar com um carrinho de bebê nos paralelepípedos desse famoso bairro não é das melhores experiências para uma mãe. Fora isso o dia estava lindo e conseguimos seguir a programação. Almoçamos no Cabanâ Las Lilas e como um reloginho Romeo dormiu durante todo o almoço, passeamos mais um pouco e voltamos ao hotel, onde levamos o Romeo para curtir uma piscina (que ele ama!) e terminamos o dia com tranquilidade.

No segundo dia estávamos doidos para levar o Romeo ao zoológico e como o de Pallermo fechou contratamos um motorista e levamos ele ao zoo de Luján. Ele adorou a experiência! Corria atrás dos animais, ficou super curioso com esse novo ambiente e curtiu tanto que dormiu durante toda a volta para Buenos Aires. Na volta levamos ele na piscina (a sensação do hotel!) e como ele já estava cansado optamos por jantar no restaurante italiano do Palacio Duhau-Gioia Restaurante & Terrazas. No jantar você pode escolher três opções- uma mesa de antepasto maravilhosa , essa mesma mesa acompanhada de prato principal e a mesma opção com prato principal + sobremesa. Optamos pela segunda. Comemos excepcionalmente bem e tomamos um vinho excelente. Romeo mais uma vez ficou quietinho dormindo no carrinho.

No terceiro- e último dia, fomos ao jardim japonês. Pegamos um dia gelado mas muito ensolarado. O jardim é lindo, colorido, cheio de crianças e conseguimos curtir bastante com ele. Depois fomos almoçar no famoso La Cabrera. Ambiente descontraído, ótimo atendimento e pratos muito bem servidos, só senti falta de um banheiro com trocador de bebê. Voltamos ao hotel, pegamos as coisas e partimos para o aeroporto. O voo de volta foi caótico! Romeo chorou o voo todo, eu estava quase pedindo desculpas para os outros passageiros de tanta vergonha que passei. Quando pousamos ele abriu um sorrisão banguela e todo mundo se apaixonou por ele!

Um resumo? Faria tudo de novo! Acredito que os casais não podem perder a sintonia, eu e o Rogério passamos uma semana em Londres sem o Romeo quando ele tinha quatro meses, mas essa experiência de viagem em família ficou marcada como a primeira de muitas!!! Apesar de alguns perrengues foi tudo maravilhoso. É bom lembrar que viagem em família não tem o mesmo ritmo de viagem em casal,ou entre amigos, de sair super cedo e voltar de madrugada, jantar tarde, almoçar em qualquer lugar. Curtimos porque fomos preparados para esse tipo de viagem, com calma, com horários, seguindo mais a rotina dele do que a nossa! Muito em breve volto aqui para contar uma nova experiência para vocês! Que venha a próxima!!!