UM MUNDO DE DESCOBERTAS

Oi genteee! Aqui é a Nat!!! Tudo bem?

Todo mundo que tem um bebê em casa vive um mundo de descobertas desde o dia do nascimento. Cada mês é uma novidade, cada fase detalhes diferentes que acontecem. Um sorriso, uma fala, engatinhar, andar, brincar, aprender a demonstrar sentimentos.

Eles aprendem e nós ficamos cada dia mais admirados e mais babões!

O Romeo está próximo dos dois anos. No próximo dia 19/11 ele completa os famosos 1000 dias, período considerado desde a gestação até os dois anos de idade. E eu estou completamente deslumbrada com essa fase. 

Ele está no período de transição entre ser um bebê e virar uma criança e muitos sinais da personalidade dele vem se mostrando, mas o que mais tem me admirado são algumas descobertas.

Na semana passada eu estava imprimindo alguns documentos e o Romeo entrou no escritório enquanto eu mexia no computador. Quando eu parei o que estava fazendo e olhei para ele meus olhos encheram de lágrimas de felicidade. Ele estava completamente chocado com o movimento da impressora. Ele olhava aquele papel saindo de um lado para o outro e colocava a mão na boca com uma cara de espanto! Foi tão inesperado para mim que foi emocionante!

Outra coisa que ele vem aprendendo é a contar e falar o nome dos personagens da Patrulha Canina. Toda vez que o programa começa ele dança e canta os nomes, uma coisa linda de se ver!

A personalidade vem se mostrando aos poucos, e ele é bem dono dele mesmo. Tem dias que está sociável e quer brincar com todo mundo, tem dias que só quer ficar na dele. É amoroso e carinhoso e apaixonado pela mãe, pelo pai e pelos avós. Ah, e pela Manu também!!

De agora em diante me preparo para ainda mais descobertas e novidades com a entrada do “terrible two”. Mas como mãe cada passo é tão lindo que você quer caminhar junto e de mão dada.

Ser mãe é a melhor coisa do mundo e viver esse mundo de descobertas mostra que cada mínimo detalhe faz a diferença e que muitas coisas comuns para nós são completamente novas para eles!

Eu estou encantada!!!! E vocês, já passaram por isso? Me contem aqui!!

Beijos da Nat!!

A MATERNIDADE, A CULPA, A PAUSA O CANSAÇO.

Oi gente!!!! Aqui é a Nat!!! Tudo bem?

Repararam que andei meio sumida? Então…hoje vim falar um pouco de algumas mudanças na minha vida depois que virei mãe.

Como eu não canso de falar, o Romeo é a melhor de todas as coisas que eu podia esperar do universo, mas como venho conversando muito disso com algumas amigas que tem o desejo de ser mãe eu sempre falo que a vida depois que você é mãe muda muito do que era antes.

De uns tempos para cá eu sinto que tem dias que preciso dar uma pausa e respirar. Ir no shopping, sair com as amigas, provar algumas roupas, ficar um pouquinho em silêncio.

Eu sou uma mãe grude. Respiro o Romeo 24 hs por dia. Ele mexe de madrugada 200 vezes eu acordo as 200. Ele chora para mamar eu dou mamadeira. Ele quer colo eu paro meu mundo e dou colo para ele. Somente semana passada que mudamos de casa e ele completou 1 ano e 10 meses que eu cortei o cordão umbilical de dormir juntos e voltei a dormir na minha cama (sim, podem acreditar, ele antes dormia com a gente e depois que compramos uma cama para ele eu passei dois meses dormindo em um colchão no chão).

Mas ser mãe também tem um lado cansativo. E o cansaço carrega a culpa juntinho e de mãos dadas. Você não pode simplesmente um dia sair para encher a cara com os amigos e o marido sem antes ter montado toda uma estrutura para alguém ficar com o seu bebê. Você não pode se dar ao luxo de fim de semana de dormir a hora que quer e acordar a hora que bem entende. Você tem horários e rotinas de acordar, dar mamadeira, dar banho, dar almoço, dar janta, colocar para dormir. E mães fazem isso com amor, com calma, com colo, com paciência. Eu não sou uma mãe em tempo integral. Eu saio cedo de casa e volto tarde então todo tempo do mundo que tenho eu quero dedicar ao meu filho. E nós como casal sempre queremos ter ele por perto quando saímos para passear. Nas vezes que estamos só nós dois temos um mega apoio das nossas mães e sentimos uma falta gigantesca dele nessa fase tão companheira e tão gostosa.

Mas mães também querem aproveitar um pouquinho. Sair, tomar um vinho com as amigas, jantar com o marido ou simplesmente ter algumas horas sozinha. Você e você mesma. Ir ao shopping, passear, tomar um café, curtir algumas horinhas zen.

Essas últimas semanas eu venho sentindo isso com um pouco mais de intensidade. Uma pausinha. Uma música no fone de ouvido. Umas horinhas de sono a mais. Uma voltinha no shopping. Uma massagem. E venho descobrindo que isso é ok. Que não sou a única mãe-mulher-esposa-trabalhadora que se sente assim e que em alguns momentos merecemos algum tempinho para nós.

Esse post é sobre um desabafo, sobre um pouco de culpa, um pouco de cansaço e uma desculpa por ter estado um pouco sumida. Quem já se sentiu assim compartilhe a sua experiência.

Beijos da Nat!

 

QUANDO VIAJAR COM OS FILHOS E QUANDO VIAJAR SEM OS FILHOS? O DILEMA DOS CASAIS MODERNOS

Oi gente!!! Aqui é a Nat!!! Tudo bem?

Desde que o Romeo nasceu eu vivo um dilema: quando levar ele para viajar com a gente e quando não levar. Conheço algumas mães que não deixam os filhos de jeito nenhum e desde quando os bebês nasceram só viajam se as crianças forem junto. Entendo e super respeito, mas com o tempo fui percebendo que em algumas situações viajar em família é incrível e que em outras viagens o bebê e os pais acabam não curtindo.

A primeira vez que eu viajei sem o Romeo ele tinha dois meses. Foi completamente HORRÍVEL, eu só chorava. Foi o casamento da minha cunhada e como ia ser na praia minha mãe e minha sogra acharam melhor ele ficar em SP por ser muito pequeno. Eu fui em um dia e voltei no outro mas sofri muito, ainda não estava preparada para essa separação.

O casamento foi incrível mas nem quilos de maquiagem disfarça  minha cara de quem chorou o dia todo

Quando o Romeo fez quatro meses eu estava voltando de licença maternidade. Foi quando eu e o Rogério percebemos que ia demorar para tirarmos férias e marcamos uma viagem. 7 dias em Londres sem o Romeo. Não preciso nem dizer que o mundo caiu matando em cima da gente né? Mas também preciso dizer que a viagem foi uma delícia. Curtimos bastante e o Romeo era muito pequeno para sentir tanto e ficou todo mimado com os avós paternos e maternos.

Turistando em Windsor na nossa viagem em casal

Nesse mesmo ano viajamos eu e ele para Vitória passar 15 dias e deixamos o Rogério aqui, ele tinha 8 meses. Quando ele tinha 11 meses fizemos nossa primeira viagem internacional juntos e fomos passar 3 dias em Buenos Aires.

Como o Romeo foi junto escolhi um hotel top para não corrermos nenhum risco. Fui com uma mala de mão cheia de papinhas e leite (ele era alérgico a proteína do leite então não podia arriscar não achar a comida certa)e a viagem foi INCRÍVEL!!! Curtimos demais, ele aproveitou e valeu súper a pena.

Curtindo muito em Buenos Aires! Nossa primeira viagem internacional juntos

Esse ano em fevereiro vivemos a nossa maior aventura. 15 dias na Europa, no inverno, na neve. Paris, Dinamarca e Suécia no nosso roteiro. Romeo com 1 ano e 2 meses foi SUPER companheiro. Ele começou a andar muito cedo (com 10 meses) então tinha horas que ele não queria ficar no carrinho de jeito nenhum mas conseguimos driblar bem os perrengues e a viagem foi demais.

Frio, neve, 15 dias na Europa com ele!

Em março mais uma viagem de casal. Um casal de amigos ia casar em Mendoza e optamos em ir sem o Romeo. Era uma viagem baseada em festas e vinhos, ele não ia curtir e nós também não. Mais uma vez aproveitamos muito de lá e ele daqui.

De lá para cá já fizemos inúmeras outras viagens e em uma fomos os três para um casamento fora de SP. Não deu outra. Romeo ficou super enjoadinho e não curtiu nada, por consequência nós também não.

O que chegamos a conclusão nesse 1 ano e 9 meses é que nossa família funciona bem assim. O Romeo tem todo o amor do mundo quando viajamos sem ele e nós conseguimos aproveitar sabendo que ele está sendo extremamente bem cuidado. Em contrapartida fizemos viagens maravilhosas com ele mas sabemos que o ritmo é outro. Saímos menos, não vamos em lugares que vão stressar ele (restaurantes lotados, por exemplo), os horários são diferentes e respeitamos o tempo dele. Sabemos que temos que sair do hotel com calma, tomar café da manhã, almoçar, jantar, levar uma bolsa com mil trocas de roupas, carrinho, fralda, brinquedo, chupeta, mamadeira…

Acho que o grande dilema dos dias de hoje é que nós pais somos muito julgados (inclusive pelas nossas famílias) e muitas vezes deixamos de fazer alguma coisa por carregarmos esse sentimento de culpa.

Se você nunca tentou e tem vontade minha dica é: tente! Vá primeiro para um lugar mais perto e fique menos dias e vá aumentando conforme a sua vontade. Sou da teoria que o casal também precisa aproveitar mas respeitando o ritmo da família toda.

E vocês viajam sem os filhos? Nunca tentaram? Me contem as experiências de vocês!

Beijos da Nat

MINHAS FÉRIAS COM O ROMEO

Oi genteeee!!! Aqui é a Nat!!! Tudo bem?

Hoje vim contar um pouquinho de como foi essa semana tão especial de férias com o Romeo. Essa foi a primeira vez que viajamos só nós dois juntos e a intenção inicial era passarmos alguns dias na casa da minha irmã na Suécia. Fomos para lá esse ano no inverno e estava doida para voltar no verão mas como o Rogério não podia ir a logística de viajar sozinha com o Romeo até a casa da minha irmã era um pouco difícil. Primeiro porque nunca achei um voo direto até a Suécia, então já encararíamos uma escala, segundo porque a cidade dela fica a dois trens de distância das cidades que tem aeroporto, então pensem na logística: avião + escala+ trem 1+ trem 2, tudo isso sozinha, com mala de mão, mala grande, um bebê e um carrinho. Achei melhor deixar para uma próxima oportunidade.

Decidi então que viríamos para Vitória, minha segunda casa. Toda a minha família de parte de mãe mora aqui e já passei tantas e tantas férias nessa cidade que tenho eternas boas recordações. Além disso meus primos tem cinco filhos crianças o que seria ótimo para o Romeo.

Primos apaixonados pelo Romeu

Para quem não sabe eu e o Romeo ficamos muito pouco tempo juntos durante a semana. Meus dias são bem malucos, fico doze horas fora de casa todos os dias e nosso horário juntos é na parte da noite e nos finais de semana. Então esses dias seriam de completo grude e amor.

Meu primeiro receio foi fazer a primeira viagem de avião sozinha com ele.  Já viajamos algumas vezes e ele passou por reações diversas (chorar, causar, dormir, brincar) mas eu sempre tinha mais um braço para me ajudar (marido, mãe, sogra). Dessa vez seria eu e ele, ele e eu. Quando estamos só nós dois ele geralmente fica bem tranquilo e dessa vez não foi diferente. O voo foi ótimo, ele ficou bem e dormiu no fim da viagem. 

Aerolook da primeira viagem sozinho com a mamãe

A surpresa veio depois que chegamos. Romeo, que geralmente é súper carinhoso estava arredio com todo mundo, só queria meu colo, não queria saber da minha tia nem das crianças, só da mãe. Foi um dia que ele pulou a rotina dele, não almoçou direito, não dormiu direito então foi uma reação normal. No dia seguinte ele já estava ótimo.

Depois da quebra de gelo ele aproveitou muito! Correu e brincou com os primos, chamegou os tios e tios avós, andou de um lado pro outro, pintou e bordou!

Fizemos programações focadas nele; parquinho, quadra, jardim, terraço, até festa da prima Maria teve e ele curtiu demais!

Curtindo a festa da prima Maria

Nossa semana foi incrível. Sei que ele sente muito a minha falta durante a semana assim como eu sinto muito a falta dele então não ficamos separados nem na hora de dormir. Ele ficou MUITO grudado comigo, queria a mamãe o tempo todo, colo, carinho, dengo. Foi demais. Ficamos muito juntos, brincamos todos os dias, acordamos todas as madrugadas e manhãs juntos e felizes. Foi cansativo? Sim, foi. O Romeo não dorme a noite toda e eu obviamente acompanho esse ritmo mas estava muito focada em fazer ele aproveitar todos os momentos comigo então deixei qualquer cansaço de lado para tornar os momentos inesquecíveis. 

24 horas grudados

Engraçado que tiramos poucas fotos,mas cada olhar, cada sorriso, cada mão dada, cada gargalhada já está guardada na minha memória para sempre. O tempo passa, ele cresce e eu continuo impressionada com esse amor que não cabe dentro do coração.

Em resumo foi perfeito. Uma experiência que quero sempre repetir e guardar esses momentos lindos e inesquecíveis!!!  Ah, e que fique claro, a viagem em família (nós três) também é maravilhosa!!! Mas esses momentos grudadinhos além de perfeitos também são importantes para nós. 

A melhor gargalhada do mundo

E  vocês? Já fizeram alguma viagem grude com os filhos? Me contem aqui!!

Beijos da Nat

DIVERSÃO COM AS CRIANÇAS

Oi genteeee! Aqui é a Nat!!! Tudo bem?

Outono chegou, inverno chegando. O que fazer com essas crianças cheias de energia dentro de casa?!

No calor tudo é mais fácil, desce para o parquinho, leva na piscina, abre a janela, brinca com água… quando chega o frio tudo fica um pouco mais complicado. Essa semana me vi um pouco sem saída quando para piorar o prédio resolveu reformar a brinquedoteca, então é a hora de pensar em algumas alternativas para gastar toda a energia dessa criançada.

Tá frio, mas eu quero brincar!

Aqui vão algumas dicas:

Chame os amigos! Se você mora em condomínio é ainda mais fácil! Organize com as outras mães e babás e levem as crianças para brincar na casa um dos outros. O ambiente e os brinquedos mudam então a curiosidade fica mais aguçada e as crianças aproveitam a diversão! Para completar a alegria faça um lanchinho coletivo para todos!

Parques ao ar livre: agasalhe a família e vá para o parque! Da para correr, jogar bola, brincar com os bichinhos, interagir com outras crianças e aproveitar o dia!

Brinquedos em shoppings: hoje quase todos os shoppings tem lugares para recreação de bebês acima de um ano. Piscina de bolinhas, brinquedos divertidos e muito animação! O Romeo pira quando levamos ele! Só evito dias muito lotados para esse tipo de programação.

Aquário de SP: se vc é de SP ou está vindo passear com as crianças o aquário é uma ótima pedida!!! O ambiente é gostoso, tem muitos bichos e alguns brinquedos. Só evite levar carrinho de bebê porque os corredores são um pouco apertados. Recomendo muito!!!

Bem bebê no aquário!!! Programa delícia em SP!

Hopi Hari: em dias de frio mas com bastante sol uma opção é o Hopi Hari. Levamos o Romeo ano passado mas achei o parque um pouco caído. Vale a pena para gastar energia, correr e brincar um pouco, além de ser um programa diferente.

Kidzania: para crianças maiores é um programa perfeito! As crianças interagem muito, trabalham, ganham “dinheiro”, se divertem a valer. Dica de ouro: compre com antecendência porque costuma lotar

Sessão cinema em casa: faça uma pipoca e crie um ambiente diferente para ver o filme preferido do seu filho! Interaja nas falas e brinque com ele nesse processo

–  Cabaninha: faça uma cabana em casa e brinque com seus filhos! Entre na brincadeira porque tem coisa mais gostosa do que brincar em família?!

Hoje o essencial é usar a criatividade! Eu tento participar da programação do Romeo o máximo que posso mas quando não estou em casa já deixo o dia pré programado para ele aproveitar muito!

E vocês? O que fazem para distrair a criançada??? Me contem aqui!

Beijos da Nat!!

COMO ORGANIZAR A MALA DE UM BEBÊ PARA UM FIM DE SEMANA FORA EM CIDADES DE CLIMA QUENTE

Oi genteeee!!! Aqui é a Nat, tudo bem?

Nesse último fim de semana nós fomos viajar e toda vez que viajamos fico impressionada com a quantidade de coisas que preciso levar para o Romeo.

Costumo ser prática e compacta então aqui vão algumas dicas:

– Primeiro veja como vai estar a temperatura do local da viagem

– Mesmo sendo verão sempre leve um casaco como segurança

– Sempre deixo uma escova de mamadeira para levar em viagens

– Levo uma necessaire com coisas importantes separadas

 

Agora vamos lá! Divido a mala da seguinte maneira:

-3 bodies por dia

-2 calças por dia

-1 shorts por dia

-4 babadores

-1 casaco

-2 blusas térmicas de piscina

-1 sunga

-1 camisa

-1 camiseta

-1 calça jeans

-8 panos de boca

-6 panos de fralda

-1 toalha para piscina

-4 meias

-1 tênis

Na necessaire:

-shampoo

-sabonete

-pasta de dente

-escova de dente

-remédio para febre

-termômetro

-pente

Na mala ainda levo 2 mamadeiras, escova de mamadeira, fralda, fralda de piscina e uma lata de leite.

Agora na mochila de mão:

– 1 pano de boca

– 1 pano de fralda

– 3 chupetas

– 1 mamadeira de leite

– 1 mamadeira de água

– Separador de leite com 3 medidas

– 5 fraldas

– Pomada

– Lenço umedecido

– Ipad

Ufaaaaaaa! Um caminhão de coisa! Mas arrumo bem organizado porque detesto viajar cheia de coisas.

Bom e eu sou inseparável do carrinho. Enquanto o Romeo usa eu levo para onde for! Idem o Ipad. Importante lembrar também de levar sempre o  documento e a carteirinha do convênio médico.

A dica de ouro é sempre separar tudo antes e só depois ir colocando na mala para conseguir aproveitar todos os espaços!

Espero que ajude para próximas viagens!!! Gostou?

Clique aqui e leia também o post onde falo sobre a mala certa para um feriado tranquilo. Está imperdível!!!

Bjs da Nat!

O DRAMA DA AMAMENTAÇÃO

Oi genteeee! Aqui é a Nat, tudo bem??

Hoje vim contar um pouco para vocês sobre meu drama com a amamentação.

Umas das coisas mais tensas na minha gravidez foi saber se eu poderia ou não amamentar. Em 2013 fiz uma cirurgia de redução de mama e quando estava grávida li muitos relatos de mulheres que não conseguiram amamentar após essa cirurgia.

Durante a gravidez tive um apoio gigante da minha médica, que sempre foi clara comigo, existe chance de mesmo com a cirurgia você conseguir amamentar ou não, tudo seria descoberto quando o Romeo nascesse. A dica de ouro que a minha médica me deu: para esse e outros assuntos já tenha uma pediatra antes do seu filho nascer, fizemos isso e as duas foram anjos na minha vida no pós parto.

Quando o Romeo nasceu fiquei esperando a mágica do leite vir, esperei, esperei, esperei e nada. Na maternidade tive colostro então o Romeo ainda tinha reservas e estava tudo ok. Voltei para casa e aí começou o pesadelo. Na minha primeira noite em casa o Romeo chorou a madrugada inteira. O que ele tinha? Fome. Primeiro peso na consciência de todos. Primeiro bebê em casa e eu não tinha a mínima noção do que estava acontecendo. Minha sogra teve o start e na mesma hora liguei para a pediatra do Romeo que me orientou a comprar o leite, chamar uma técnica de amamentação e continuar insistindo no peito para ter estímulo.

O Romeo só chorava, mesmo mamando fórmula foi uma semana louca. Quando a técnica foi me visitar descobrimos duas coisas: a primeira é que eu tinha uma produção de leite baixíssima, a segunda era que saia muito pouco leite quando o Romeo sugava então ele ficava cansado e usava o peito como chupeta, o que obviamente machucava a mamãe aqui. Qual foi a solução? Uma mamadeira e uma sonda. De três em três horas eu colocava uma mamadeira com leite e uma sonda no peito para que o Romeo tomasse o leite de fórmula e estimulasse o pouco leite materno que eu podia oferecer. Eu fazia isso de manhã, de tarde, de noite e de madrugada. Demorava 1:30hs para amamentar nesse processo e depois começava tudo de novo.

Nesse meio tempo o Romeo começou a sofrer e chorar muito e detectamos que ele tinha alergia a proteína do leite. Um mês fazendo esse processo, regulando a minha alimentação, dando leite especial e mesmo assim ele continuava com cólicas insanas, intestino preso, irritação. Foi quando eu tive que tomar uma decisão: tirar o peito. Foi horrível. Minha mãe, meu pai e meu marido me falaram que era a melhor coisa, que eu e o Romeo sofríamos muito nesse processo de sonda, alergia, etc… mas o peso na consciência era gigante.

Posso dizer que a amamentação foi um trauma na minha vida. Onde você olha tem a mensagem “é importante amamentar o filho até dois anos”. Na lata de leite tem isso, na propaganda tem isso, em aplicativos de bebê a mensagem grita na sua cara e minha vontade era falar: EU NÃO AMAMENTO PORQUE EU NÃO TENHO LEITE E NÃO PORQUE EU NÃO QUERO. Mil perguntas se passaram na minha cabeça: sou menos mãe por isso? Meu filho fica mais doente por isso? Será que eu deveria ter mesmo feito essa cirurgia anos atrás?

Hoje sou bem resolvida nesse assunto mas foi um tema que me incomodou por muito tempo. Hoje sei que sou tão mãe quanto as mães que amamentam até os dois anos, que se meu filho fica resfriado não é porque tomou fórmula e sim porque o outono chegou e que é o amor que oferecemos que faz a diferença nessas horas. Mas assim como todas as mães passamos por momentos mais sensíveis no pós parto. Hoje o Romeo é um bebê enorme, que se alimenta super bem e que já não tem mais alergia e eu olhando para trás vejo que foi a melhor decisão que eu poderia ter tomado.

Gosto de contar essa história para pessoas próximas e hoje resolvi me abrir aqui, esse é um tema que é muito pouco falado e achei importante compartilhar.

E vocês, como passaram na amamentação? Conhecem alguém que já passou por isso! Me contem tudo!

Beijos da Nat

UM POUCO SOBRE SER MÃE

Oi genteeeee!!! Aqui é a Nat! Tudo bem??

Hoje quero contar para vocês um pouco sobre ser mãe. Digo um pouco porque esse assunto abrange tantas coisas que tenho certeza que ainda vou voltar algumas vezes aqui para falar sobre isso.

Na semana passada uma pessoa me perguntou : “Nat, o que é ser mãe?” E eu falei “você vai ficar um pouco confusa com a minha resposta, mas nada no mundo é melhor do que ser mãe”.

Ser mãe é pleno. É amor. É respirar. É realização. É vida. 

Mas ser mãe é difícil. É cansativo. É frustrante algumas vezes.

Nada na vida te prepara para ter seu filho no colo, para sentir o cheiro dele, para admirar cada segundo.

Ser mãe é um mix de emoções. É você não querer perder nenhum segundo, mas rezar para o seu filho dormir mais cinco minutinhos.

É você conviver com uma culpa de às vezes querer uma hora sozinha no silêncio para se reconectar. É se frustrar de querer estar mais presente do que muitas vezes você pode estar. É se importar com que os outros vão falar mas no fundo saber que o que importa é você, e ok ele dormir na sua cama, ele assistir um pouco de TV ou ele ficar só de fralda no calor.

Ser mãe é sentir o cheiro do seu filho mesmo estando em outro continente. É ver os olhinhos dele brilharem quando olham para você. É sofrer porque aos seis meses de idade ele descobre que vocês dois não são uma pessoa só. É chorar de desespero quando ele acorda onze vezes na mesma noite. É olhar uma roupa e ver seu filho usando. É querer comprar todos os brinquedos da loja. É saber que agora você vai ter que usar um pouco mais de maquiagem para disfarçar o cansaço.

Ser mãe é trocar o scarpin pelo tênis, a bolsa pela bolsa do nenê, a mini saia pela calça jeans. Ser mãe é ter seu trabalho, é se arrumar para ir para a balada, é ter um fim de semana off com o marido. Ser mãe é ter culpa por fazer essas coisas.

Eu poderia escrever horas e horas sobre o que é ser mãe. Mas ser mãe é sentir um amor que nenhuma outra pessoa vai sentir, é ter um ser humano que é o ar que você respira, é não dormir nenhuma noite inteira e tudo bem, você tem a pessoa mais importante do mundo do seu lado. Ser mãe é driblar medos e inseguranças todos os dias. Mas acima de tudo ser mãe é viver movida pela energia do amor.

Gostou desse post?  #Compartilhe e deixe seus comentários!

AVENTURAS EM MENDOZA

Oi genteeee!!! Aqui é a Nat, tudo bem?

Hoje vim contar um pouco da nossa viagem para Mendoza. Fomos para lá viver um momento especial, o casamento dos nossos amigos, e acabamos descobrindo um lugar lindo e cheio de encantos.

Depois de um ano voltamos a viajar sem o Romeo. Dessa vez foi um pouco mais difícil do que da primeira, por ele ser mais velho e ser nosso companheiro doeu o coração não levar ele junto, mas essa viagem tinha uma proposta diferente, curtir com os amigos, aproveitar como casal, beber vinhos e descobrir (com alguns perrengues) um pouco mais sobre Mendoza.

Ficamos em um hotel chamado Mod Hotels Mendoza. O quarto era enorme e limpo, staff e café da manhã ok, ficamos bem hospedados. O centro da cidade de Mendoza não nos encantou muito. As ruas são cheias de valas, a cidade é um pouco velha e é praticamente impossível conseguir um taxi, mesmo se tratando de uma cidade tão turística.

Na primeira noite reservamos para jantar no Maria Antonieta Resto que é comandado por uma chef pupila do chef Francis Mallmann. O restaurante é MARAVILHOSO! Ponto altíssimo para as entradas- pedimos burrata com presunto de parma, abobrinha e torradas e uma outra entrada de camarões com batata assada, avocado, vagem e mostarda dijon- e para a sobremesa- um suflê de doce de leite quente com creme que estava simplesmente DIVINO! Bebemos duas garrafas de vinho e cada um pediu um prato de massa. Valeu muito a visita e o restaurante tem um ótimo custo benefício.

Maria Antoniela Resto! Que comida maravilhosa!

Na saída passamos um perrengue. Nada de taxi e nada de ajuda do segurança do restaurante para solicitar um taxi. Andamos seis quarteirões até uma boa alma parar e nos levar para o hotel. Nossos amigos já haviam passado pelo mesmo problema na parte da tarde mas como eles estavam afastados do centro a situação foi ainda mais complicada e em resumo depois de mais de uma hora de espera eles acabaram voltando de ônibus.

Na sexta-feira estávamos programados para visitar duas bodegas durante o dia e uma terceira bodega em um jantar de pré wedding a noite. Aí começou a nossa experiência de verdade! Que lugar é Mendoza!!!

Alugamos um carro para evitar contratempos e partimos para a primeira bodega: Terrazas de Los Andes, que faz parte do grupo LVMH. Começamos com uma visita guiada explicando o processo dos vinhos, tanto os mais “jovens” como eles chamam até os vinhos premium. Ao final do tour participamos de uma degustação com três tipos de vinho, onde aprendemos o passo a passo antes de se beber uma taça: observar a cor em um fundo branco, cheirar o vinho e oxigenar com um pequeno balanço do líquido na taça. Para terminar essa experiência única almoçamos em um restaurante lindo com quatro pratos e uma taça de vinho diferente harmonizando com cada um. Além da vista, claro! Perfeito!

 

Almoço maravilhoso com os amigos na Bodega Terrazas de Los Andes

A segunda bodega também foi surpreendente! Bodega Casarena, que faz um processo um pouco menor e mais artesanal do que a primeira mas não menos incrível. Também fizemos um tour guiado com a diferença de que no final degustamos quatro tipos de vinhos diferentes direto do barril. Ao lado quatro exemplos de solo que explicavam a diferença de sabor de cada um. Foi maravilhoso!!!!! E a vista dessa bodega? Linda!!!!!!

A noite fomos ao jantar pré wedding em uma terceira bodega, Clos de Chacras. Um lugar lindo com um lago e uma produção de vinhos completamente diferente das duas primeiras, muito mais artesanal. Lá comemos a melhor empanada da VIDA além de um jantar maravilhos!

No sábado almoçamos em um restaurante chamado Anna Bistro. O lugar é lindo e aconchegante mas infelizmente ninguém saiu completamente satisfeito com a escolha dos pratos.

Sábado a tarde chegou o grande momento! O casamento! Depois de uma cerimônia linda na Igreja partimos para a bodega Dominio Del Plata com a vista mais linda de todas. Nunca imaginei perder o fôlego com um lugar como perdi com esse. O dia estava lindo, o lugar era incrível, mas a vista para os Andes foi uma das coisas mais impressionantes que eu já presenciei, nenhuma foto consegue traduzir esse sentimento.

A vista de tirar o fôlego

O casamento foi lindo e cheio de emoção! Valeu cada segundo!!!!

E claro! Amigos e noivos queridos!

Sobre Mendoza? Recomendo MUITO!!! O tour pelas bodegas foi incrível e cheio de encantos, além de muita diversão entre os amigos!

Uma viagem que vale muito a pena fazer e cheia de vinhos que valem a pena comprar para trazer na mala (permitido 6 por pessoa), além de algumas aventuras, por que, claro, qual viagem é perfeita sem um pouco de emoção?

 

A PRIMEIRA VIAGEM INTERNACIONAL EM FAMÍLIA – COMO VIAJAR (E APROVEITAR) COM UM BEBÊ!

Oi gente!!! Aqui é a Nat!

Hoje vim contar para vocês um pouco de como foi a nossa primeira viagem internacional em família.

Com o passar dos meses o Romeo se mostrou um excelente companheiro meu e do Rogério. Desde pequeno levamos ele em restaurantes, passeios e em algumas viagens menores aqui no Brasil.

Na dúvida do que dar de presente de aniversário para o Rogério escolhi uma viagem curta para Buenos Aires, e claro que o Romeo não poderia ficar de fora dessa aventura.Escolhi um hotel muito bem recomendado porque queria ter certeza que teríamos conforto e opções para curtir com o Romeo sem ter que ficar na rua o dia inteiro.

Nossa primeira experiência foi o voo de ida. Romeo já tinha viajado algumas
vezes de avião mas o voo mais longo tinha sido de 1:30hs. A viagem foi tranquila, o voo foi bem cedo e ele dormiu quase o tempo todo. Ponto para nós! Chegamos em Buenos Aires e fomos direto para o nosso hotel escolhido: o maravilhoso Palácio Duahu- Park Hyatt. Além de lindo o hotel é excepcional. Quartos espaços, duas opções de restaurante e uma opção de bar, staff extremamente atencioso. No quarto já nos esperava um berço com alguns mimos para o Romeo e uma carta de boas vindas a família.

Começamos o dia por Puerto Madero , um dos meus lugares preferidos de Buenos Aires, mas dessa vez a experiência não foi das melhores. Descobri que andar com um carrinho de bebê nos paralelepípedos desse famoso bairro não é das melhores experiências para uma mãe. Fora isso o dia estava lindo e conseguimos seguir a programação. Almoçamos no Cabanâ Las Lilas e como um reloginho Romeo dormiu durante todo o almoço, passeamos mais um pouco e voltamos ao hotel, onde levamos o Romeo para curtir uma piscina (que ele ama!) e terminamos o dia com tranquilidade.

No segundo dia estávamos doidos para levar o Romeo ao zoológico e como o de Pallermo fechou contratamos um motorista e levamos ele ao zoo de Luján. Ele adorou a experiência! Corria atrás dos animais, ficou super curioso com esse novo ambiente e curtiu tanto que dormiu durante toda a volta para Buenos Aires. Na volta levamos ele na piscina (a sensação do hotel!) e como ele já estava cansado optamos por jantar no restaurante italiano do Palacio Duhau-Gioia Restaurante & Terrazas. No jantar você pode escolher três opções- uma mesa de antepasto maravilhosa , essa mesma mesa acompanhada de prato principal e a mesma opção com prato principal + sobremesa. Optamos pela segunda. Comemos excepcionalmente bem e tomamos um vinho excelente. Romeo mais uma vez ficou quietinho dormindo no carrinho.

No terceiro- e último dia, fomos ao jardim japonês. Pegamos um dia gelado mas muito ensolarado. O jardim é lindo, colorido, cheio de crianças e conseguimos curtir bastante com ele. Depois fomos almoçar no famoso La Cabrera. Ambiente descontraído, ótimo atendimento e pratos muito bem servidos, só senti falta de um banheiro com trocador de bebê. Voltamos ao hotel, pegamos as coisas e partimos para o aeroporto. O voo de volta foi caótico! Romeo chorou o voo todo, eu estava quase pedindo desculpas para os outros passageiros de tanta vergonha que passei. Quando pousamos ele abriu um sorrisão banguela e todo mundo se apaixonou por ele!

Um resumo? Faria tudo de novo! Acredito que os casais não podem perder a sintonia, eu e o Rogério passamos uma semana em Londres sem o Romeo quando ele tinha quatro meses, mas essa experiência de viagem em família ficou marcada como a primeira de muitas!!! Apesar de alguns perrengues foi tudo maravilhoso. É bom lembrar que viagem em família não tem o mesmo ritmo de viagem em casal,ou entre amigos, de sair super cedo e voltar de madrugada, jantar tarde, almoçar em qualquer lugar. Curtimos porque fomos preparados para esse tipo de viagem, com calma, com horários, seguindo mais a rotina dele do que a nossa! Muito em breve volto aqui para contar uma nova experiência para vocês! Que venha a próxima!!!